Bruxismo! Entenda a relação com a enxaqueca e outras doenças

Bruxismo! Parece filme de terror: Você está no seu trabalho, produzindo tranquilamente em frente ao computador, quando alguém começa a te trazer problemas em cima de problemas.

Inconscientemente você, que já tinha muitos outros problemas em sua cabeça, se sente pressionado a dar conta de todos. Essa é uma situação propícia para você começar a apertar e/ou ranger os seus dentes, em um ato de descarregar as tensões causadas por esta sobrecarga.

Esse distúrbio comportamental é uma fábrica de doenças. Quanto antes for eliminado, melhor. Você não só vai se livrar da enxaqueca, como também de muitas outras doenças que podem estar te fazendo mal sem que você sequer saiba.

Mas afinal, o que é bruxismo?

Apesar do nome, bruxismo não tem nada a ver com bruxaria. O bruxismo é um distúrbio comportamental caracterizado pelo hábito de apertar e/ou ranger os dentes, inconscientemente.

Assim, enquanto você está concentrado em uma atividade, ou mesmo dormindo, você está “se mordendo” (mordendo os problemas).

Mas ao invés de estar mastigando algo, o que você está mordendo são seus próprios dentes, apertando ou raspando.

O termo bruxismo vem do grego “brika”, que significa “ponto de fratura dos materiais”. O termo foi adaptado para o espanhol como “briquismo”, e depois aportuguesado como bruxismo.

Portanto bruxismo significa trincar e/ou fraturar os dentes, descarregando inconscientemente as tensões do dia-a-dia, fabricando doenças.

bruxismo - dentes

Psicologicamente falando, quando uma pessoa passa a prender ou ranger os dentes, na realidade significa que ela “está inconscientemente mordendo alguma coisa ou alguém”, e isso está denunciado nos estragos vistos claramente em sua boca (dentes, gengiva, bochecha e língua) e também no seu corpo como um todo.

A maioria das pessoas não sabe que tem este hábito, bem como não tem a mínima ideia de o quanto e quando mordem, pois é um hábito inconsciente.

Causas do bruxismo?

As causas do bruxismo têm relação com seu estilo de vida. O estresse diário e as irritações vividas ao longo do dia se transformam em uma tensão emocional, e seu corpo precisa despejar essa tensão em algum lugar.

E como você sabe que não pode despejar esse estresse na esposa(o), no vizinho, no cliente, no governo, no patrão, nos funcionários, no trânsito, no porteiro do prédio, nos amigos nem em sua família, você termina por se agredir sem se dar conta disso, entrando num processo inconsciente de auto destruição.

Todo o processo começa assim:

Vamos supor que você tenha um vizinho ou vizinha que, por algum motivo, você não pode nem ver na frente. Quando o vê já dá vontade de querer torcer o pescoço dele. Mas você não vai fazer isso, correto? Devido à sua forma de agir, sua educação, respeito, etc.

Porém inconscientemente você compensa essa vontade mordendo, prendendo ou raspando seus dentes, e para piorar acaba fazendo isso dia e noite.

Que tipo de pessoa atinge?

É claro que isso varia de pessoa pra pessoa. Para alguns, é preciso que o mundo esteja acabando para começar a pensar em morder enquanto que outros já desenvolvem este hábito por qualquer motivo.

Quando adquirido, a pessoa pode passar a morder durante dez, quinze, vinte anos ou mais, prejudicando sua qualidade de vida e relacionamentos. A parte profissional e suas condições psicológicas ficam alteradas, independentemente de sexo, raça ou posição social.

Podemos facilmente concluir que a velocidade do mundo mudou, com uma avalanche de informações e responsabilidades.

A globalização, as possibilidades abertas a todos e a grande liberdade adquirida provavelmente são as principais causas deste aumento significativo do bruxismo, que ocorre de forma inconsciente.

roer as unhas também é bruxismo

Pessoas com personalidades mais agressivas, competitivas ou hiperativas estão mais propensas a sofrer de bruxismo. Substâncias estimulantes como cigarro, álcool, cafeínas e alguns remédios também podem ocasionar o problema.

No caso das mulheres, a situação é ainda mais grave.

A jornada dupla de trabalho e as pressões impostas pela sociedade têm impactos significativos na saúde da população feminina. Estima-se que cerca de 90% das mulheres com idade entre 30 e 45 anos – ou seja, aquelas que têm filhos ainda pequenos ou adolescentes e que estão em idade produtiva – sofrem de bruxismo.

É claro que o estresse também atinge os homens. Mas o público masculino, além de não estar submetido às jornadas duplas, somatizas emoções de maneiras diferentes (embora não necessariamente melhores).

Os homens transformam o estresse em problemas gastrointestinais e doenças do coração, enquanto que as mulheres costumam ter problemas tensionais, e entre elas se destaca a temível enxaqueca.

Bruxismo não é somente o apertar e/ou ranger os dentes, é também morder lápis, a tampa da caneta, roer as unhas, cutículas e até os dedos. Tudo isso é bruxismo.

Espero que você, leitor, possa começar a ter consciência desse ato e comece o mais rápido possível a corrigi-lo. Com certeza sua qualidade de vida será muito melhor.

Sintomas

Como o apertar ou ranger dos dentes acontece de forma inconsciente, muitas pessoas sequer sabem que sofrem de bruxismo. Mas o corpo dá algumas pistas do que está acontecendo, e alguns indicativos são:

  • Dor de cabeça do tipo enxaqueca
  • Comentários do cônjuge de que é possível ouvir o ranger dos dentes à noite (motivo até de separação)
  • Acordar cansado
  • Diminuição do tamanho dos dentes
  • Fratura e trincas nos dentes
  • Esmalte dos dentes desgastados
  • Sensibilidade dentária ao frio, doce, ao calor e ao contato da escova dentária
  • Dor na mandíbula ou na face
  • Dor de ouvido
  • Cortes na língua, lábios e bochecha
  • Insônia
  • Dores no peito em forma de pontadas
  • Dores nas costas (cervical)
  • Unhas corroídas
  • Labirintite
  • Zumbido no ouvido
  • Peles desgastadas
  • Queda de cabelo
  • Envelhecimento precoce
  • Gastrites
  • Gengiva inflamada, etc…

Obs.: Essa relação varia de pessoa pra pessoa.

Tratamentos mais comuns do Bruxismo, usados atualmente

As consequências determinadas pelo bruxismo são bastante conhecidas principalmente pelos dentistas.

A maior parte dos tratamentos é preconizada até hoje por meio de remédios e/ou aparelhos, inclusive as placas de Michigan, que são apenas paliativas, pois combatem as consequências e não as suas causas.

Em alguns casos mais graves é possível até mesmo que sejam receitados relaxantes musculares, ansiolíticos e inclusive injeções de ácido botulínico (botox) nos músculos comprometidos.

Esses são tratamentos que combatem apenas as consequências desse mal, o que significa que sua suspensão implica a volta dos problemas até com maior intensidade, porque as causas não foram retiradas.

Bruxismo tem cura, sem usar remédio e/ou aparelhos

Felizmente o bruxismo tem cura. O tratamento foi desenvolvido pelo cirurgião-dentista brasileiro Dr. Lincoln Zuccato, que após mais de 40 anos de pesquisa desenvolveu técnicas para curar este mal.

O pesquisador já escreveu um livro sobre o assunto, intitulado “O que ou quem você anda mordendo”, e também tem um curso 100% online (A cura da enxaqueca) onde ensina todo seu método focado na conscientização da causa da doença e cura sem o uso de remédios e/ou aparelhos.

Direcionado ao público em geral, com explicações claras e uma linguagem de fácil entendimento.

Clique aqui para assistir o vídeo do Programa A cura da Enxaqueca e aprenda a como se livrar de uma vez por todas dessa doença.

Dicas simples para minimizar o bruxismo agora mesmo

Enquanto você aguarda as inscrições para o curso, seguem 2 dicas simples que você pode fazer para diminuir a quantidade e a intensidade dos episódios de bruxismo. Confira:

  1. Elásticos coloridos

Uma técnica simples para você transportar esse hábito de inconsciente para o consciente é feita usando vários elásticos coloridos em seus dedos, como esses elásticos de cabelo (figura abaixo):

Elásticos coloridos para o Bruxismo

Isso irá chamar a sua atenção possibilitando a você policiar onde estão seus pensamentos e analisar se está ou não apertando os dentes. Quanto mais colorido for e quanto mais chamar a sua atenção, melhor!

A cada vez que olhar para o elástico, criará um gancho mental para monitorar onde estava seus pensamentos e “o que ou quem você anda mordendo”.

Caso as pessoas do seu meio de convivência te perguntem o que é isso, será ainda melhor.

A cada pergunta sobre do que se trata, será uma oportunidade para você se monitorar e ver onde estavam seus pensamentos, atentando-se para não apertar e/ou ranger seus dentes. Essa técnica serve para ser usada em todas as atividade do seu dia-a-dia.

Aplique hoje mesmo e veja os resultados.

  1. Alarmes em seu celular

Essa dica é rápida e muito simples, pode ser feita agora mesmo, pois em nossa vida atual quase 100% das pessoas estão com seu celular à disposição.

Então o que você deve fazer: programar alarmes a cada 30 minutos diariamente em seu celular (em horários variados) e renomear o nome do alarme para “O que ou quem você anda mordendo neste momento”.

Alarmes para o bruxismo

Cada vez que o alarme tocar, pare o que você está fazendo, se possível, e reflita. Veja onde estava seu pensamento neste exato momento, se você estava ou não apertando e/ou rangendo seus dentes.

Se você estiver, terá a oportunidade de localizar o que ou quem está fazendo você morder, dessa forma estará achando o começo do caminho a seguir para se livrar do bruxismo.

FAÇA AGORA!

Para adquirir um novo hábito, é preciso prática e repetição. Acabo de lhe oferecer um conhecimento importantíssimo, agora você precisa praticar. Adquira o hábito de permanecer sempre atento ao fato de estar apertando e/ou rangendo os seus dentes.

E quando digo “faça agora”, é agora mesmo. Enquanto você está lendo este artigo, pegue seu celular e já coloque os alarmes antes de prosseguir adiante.

Apenas essas dicas simples farão total diferença na sua vida e já iniciará o processo de entender as possíveis causas de seu bruxismo.

Deixe seu comentário aqui abaixo e se você conhece alguém que sofre do mesmo problema, divulgue esse artigo em suas redes sociais, ajudando mais pessoas a se verem livres desse terrível mal.